Você está aqui: Página Inicial > Notícias > INPI argentino: modernização e disseminação da PI são desafios

Notícias

INPI argentino: modernização e disseminação da PI são desafios

por última modificação: 05/05/2016 17h58
Mario Aramburu, presidente do INPI da Argentina

Mario Aramburu, presidente do INPI da Argentina

Mario Aramburu, presidente do INPI da Argentina, participa da reunião do Comitê Diretivo do Sistema de Cooperação sobre Aspectos de Informação Operacional e Propriedade Industrial (Prosur), realizada no Rio de Janeiro, no INPI, nos dias 5 e 6 de maio. Em entrevista, o dirigente afirma que o instituto começará um processo de modernização para universalizar o acesso aos direitos de PI. 

INPI – Na sua opinião, como o sistema de propriedade intelectual pode contribuir para o desenvolvimento econômico da Argentina?

Mario Aramburu – Como em todos os países do mundo, a PI é muito importante. As estatísticas mundiais apontam que, quanto mais há propriedade intelectual, mais há inovação, de maneira que existe uma relação estreita entre a propriedade industrial, e a propriedade intelectual em geral, e o desenvolvimento econômico.

INPI – Quais são os principais desafios do INPI argentino?

Mario Aramburu – Há desafios internos e externos. Entre os internos, temos a necessidade de modernização do Instituto, o que está a caminho, com base em um plano de ação para os próximos cinco anos. Entre outras coisas, o plano acaba com o papel e transfere todo o sistema, inclusive de pagamento, para a internet. Assim, poderemos universalizar o acesso aos direitos de PI. Por sua vez, é preciso mostrar para a sociedade os benefícios que a propriedade intelectual traz.

INPI – O tempo de análise dos pedidos é um problema?

Mario Aramburu – Em alguns setores de patentes, como as medicinais, sim. No resto, não. Levamos em média de três a quatro anos. Quanto às marcas, registramos em oito meses. Estamos dentro da média internacional.
 
INPI – Como o Prosul pode contribuir para superar os desafios dos escritórios nacionais de PI?

Mario Aramburu – É o que estamos fazendo, ou seja, colaborar. Se um escritório tem deficiência em algum setor, o restante o apoia. Estamos tentando promover melhoras para todos. Buscamos procedimentos, normas e sistemas que permitam às empresas e pessoas físicas de todos os integrantes do Prosur uma melhora em seus serviços.