Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Dia Mundial da PI: evento na UFRJ discute a inovação nos esportes

Notícias

Dia Mundial da PI: evento na UFRJ discute a inovação nos esportes

por última modificação: 22/04/2019 10h11
Exibir carrossel de imagens Mesa de abertura do Dia da PI na UFRJ

Mesa de abertura do Dia da PI na UFRJ

Sob o tema Inovação no Mundo do Esporte, foi realizado no Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no dia 18 de abril, evento em comemoração ao Dia da Propriedade Intelectual, celebrado em todo o mundo em 26 de abril. A atividade contou com apoio do INPI, da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), da  Associação Brasileira da Propriedade Intelectual (ABPI) e da Licensing Executive Society (LES-Brasil).

As boas-vindas aos mais de 50 participantes foi dada pelo diretor do Parque Tecnológico, José Carlos Pinto, que destacou a produção, desde 2010, de 180 pedidos de propriedade intelectual efetuados pelas instituições instaladas no Parque, que somam 68 entre pequenas, médias e grandes empresas, nacionais e internacionais, além de startups e laboratórios.

Participaram da mesa de abertura o coordenador-geral de Disseminação para Inovação do INPI, Felipe Augusto Melo de Oliveira; a conselheira do Escritório da OMPI no Brasil, Isabella Pimentel; o diretor da ABPI, Filipe Fonteles Cabral; a conselheira da LES-Brasil, Evelyn Montellano; e o representante das Empresas do Parque, Marcio Spínola.

Esportes e PI

Segundo o representante do INPI, mais que benefícios para a saúde e o bem-estar das pessoas, o setor esportivo tem demandado avanços tecnológicos que resultam em novas patentes para equipamentos esportivos,  além de produtos e processos para as áreas biomédicas e de medicina esportiva, sem contar com marcas e desenhos industriais que distinguem e impulsionam empresas e mercados.

Felipe Oliveira destacou ainda os recentes avanços do INPI, como a redução para 10 meses do tempo de exame de pedidos de marca e para sete dias para o registro de programa de computador. No caso dos pedidos de patentes aceitos nos programas prioritários do Instituto, o prazo de exame tem variado de 5 a 10 meses, de acordo com a modalidade: idosos, microempresas e empresas de pequeno porte, instituições de ciência e tecnologia, criadores de tecnologias verdes e participantes do Patent Prosecution Highway (PPH) – projeto entre escritórios nacionais/regionais de patentes no qual um país aproveita o exame do parceiro para realizar sua análise.

No painel "O Papel da Propriedade Intelectual no Incentivo ao Desenvolvimento do Esporte", foram debatidos dois cases de empresas do Parque: a startup Eagle Sports Analytics, que desenvolveu uma ferramenta que dá suporte ao treinamento de atletas de judô do Instituto Reação, utilizando estatística e inteligência artificial; e a Holos Brasil, com suas iniciativas em pesquisa e desenvolvimento de tecnologia aplicada a materiais compostos utilizados na fabricação de barcos para competições.

Os pesquisadores do INPI Helmar Álvares e Elias Lawrence Marques participaram das discussões do painel levando informações sobre proteção das pesquisas por meio de ativos de propriedade intelectual, como registro de programa de computador e concessão de patente.

Foi realizada também uma homenagem ao professor Marcio Nogueira de Souza, do Programa de Engenharia Biomédica da COPPE UFRJ, por sua contribuição no desenvolvimento de projetos de tecnologia de ponta aplicados ao esporte.